quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Um santuário chamado Pantanal

Em 2011, a convite da minha amiga Carmen Bays, conheci o Pantanal Norte - região de Poconé/MT. Fiquei apaixonada. Então, meu amigo Tony Moura convidou-me para conhecer o Pantanal Sul. Eu iria conhecer a Fazenda Estrela em Aquidauana/MS, que, carinhosamente, o Tony chama de "santuário".

Convidei três grandes amigos: a própria Carmen Bays, o Carlos Godoy e o Julio Guedes (todos integrantes do CEO). Partimos de São Paulo rumo à Campo Grande no dia 30/06 e retornamos no dia 11/07 (2012).
Carmen, Julio, Tony, Eu e o Godoy by Marcelo Rondon
Passamos meses planejando, trocando idéias, ligando em pousadas, perguntando às pessoas, vendo vídeos, fotos e blogs na internet. Em março compramos as passagens. Carmen viria de Joinville até o aeroporto de Congonhas e se juntaria a nós no aeroporto de Cumbica. Reservamos um palio week-end numa locadora em Campo Grande e o tempo foi passando. Chegando mais perto da data, deu um frio na barriga, não havia muitas certezas, mas não nos faltavam dúvidas.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Uma visita ao "Ninho das Águias" - Academia da Força Aérea


Uma das atividades do CEO - Centro de Estudos Ornilógicos  constitui-se na realização de levantamento de aves em áreas militares do Estado de São Paulo. Esse trabalho engloba várias unidades militares tais como a Invernada do Barro Branco da Polícia Militar do Estado de São Paulo; Hospital Militar de Área de São Paulo (HMASP); Escola Superior de Soldados Cel PM Eduardo Assumpção - Polícia Militar do Estado de São Paulo; Hospital da Aeronáutica e Campo de Marte;  Base Aérea de São Paulo - Cumbica, Guarulhos; Comando de Policiamento do Interior Sete (CPI-7); Escola Superior de Sargentos - Polícia Militar; 5º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano e Escola de Especialistas de Aeronáutica - EEAR - Guaratinguetá. 

Recentemente o CEO foi convidado para recencear as aves da Academia da Força Aérea em Pirassununga. O lugar é mais conhecido pelo pomposo nome de Ninho das Águias e abriga também a Esquadrilha da Fumaça. Foi a primeira de muitas vezes que serão necessárias para cobrirmos a extensa área da Academia. 

A turma quase toda

Dia dos pais: Eu, meu pai e a natureza

Tem um dito popular que diz "recordar é viver".  Então...a gente recorda com saudades apenas das coisas boas, ainda bem, né?
Eu e meu pai no "Jardim da Silvia"

Nasci no interior de São Paulo (Presidente Prudente), assim como meu pai JOAQUIM FAUSTINO, que é filho de agricultores. Desde adolescente os interesses profissionais do meu pai sempre foram outros e não as terras dos meus avós. Ele muito cedo tornou-se advogado. Meus avós foram loteando as terras, e quando nasci havia apenas "a chácara". Não era qualquer chácara, era um local sagrado para nós, onde toda a família se reunia para festejar. Todo domingo o almoço era na casa da "Nona".  Meus avós tiveram dez filhos, e uns tantos cinquenta netos, nem entro no mérito dos bisnetos e tataranetos que já perdi as contas (riso). 

E nós, os netos, divertíamos sob e  sobre as árvores da chácara. Fartávamo-nos com as frutas. As jaboticabeiras e goiabeiras eram as minhas preferidas. Brincávamos de pique-pega em cima das árvores, principalmente das mangueiras. Sem noção de perigo. Nunca nenhum de nós se machucou gravemente. Mas levávamos algumas lambadas de vara de marmelo da "D. Giulia", (lê-se Diulia) minha avó, quando arrancávamos frutas verdes do pé e jogávamos fora depois.

Esse preâmbulo é para mostrar minhas raízes na terra, muito além de eu ter nascido sob um dos signos da terra (sou de virgem). (risos). Quando meus avós morreram, a chácara foi vendida e hoje é um bairro cheio de casas enormes.